CONTEXTO

A Poise é a marca portuguesa de acessórios da Sara e do João, dois escultores de formação. Lançada em 2011 com uma oferta centrada em malas feitas exclusivamente em pele, pretende agora redesenhar a sua marca para crescer e alcançar novos públicos.

NUNCA É SÓ O “BONECO

Um projeto deste tipo raramente se resume a um simples redesenho da identidade visual. Implica um trabalho mais profundo de reavaliação da marca e, principalmente, do seu negócio. A oferta mantém-se? O posicionamento continua a fazer sentido? A proposta de valor mantém-se? O que temos para oferecer é relevante e desejável para o nosso público-alvo? Somos suficientemente diferentes da concorrência? Cruzando estes dados com tendências socioculturais que podem influenciar o projeto alcançamos a ideia de marca, aquilo que no fundo determina o seu propósito.

O MOLDE DA IDEIA
SEMPRE ESTEVE PRESENTE

Idealmente, a ideia de marca ou seu propósito será algo verdadeiro e logo algo forte. poderoso, ressoando no íntimo de quem a dirige. Raramente isto sucede. Mas quando acontece, é mágico. A Poise nasce do interesse pela escultura. A arte que dá forma à matéria prima está presente nas peças desde o primeiro esboço. Reconhece-se na plasticidade da forma. Sente-se no contacto com o material. Intui-se na graciosidade do movimento. Está assim encontrada a ideia de marca: criar malas intemporais que se moldam a qualquer momento da vida cosmopolita.

“Criar malas intemporais que se moldam a qualquer momento da vida cosmopolita.”

LISBON INSPIRED. ART-SHAPED.

A Poise define-se agora com uma marca de malas desenhadas em Lisboa. Inspirados pela sensibilidade artística adquirida na escultura e com um sentido apurado de design, os seus fundadores redefinem o conceito objeto-mala. As malas são construções graciosas, dotadas de uma maleabilidade que lhes permite assumir várias expressões, mantendo uma estética impecável que nunca compromete a função, pensadas para serem utilizadas em qualquer circunstância e durante muitos anos.